BLOGGER TEMPLATES AND TWITTER BACKGROUNDS

sábado, 25 de outubro de 2008

Desespero



Hoje não tenho mar. Nem ondas, nem maresias.

Hoje o céu pintou-se de escuro, escondeu as estrelas
E nem deixou que a lua brilhasse.

Hoje não tenho dedos. Nem versos feitos flores.

Hoje fugiram-me as palavras, calou-se o murmúrio
E nem sobram as marés.

Hoje não te tenho. Não te sinto. Não te sonho.
(só um vazio tão cheio de coisa nenhuma…)

39 Gotas de Chuva:

Maria disse...

Hoje tenho apenas o mar. As ondas. A maresia. E um céu negro que escondeu a lua. E te escondeu a ti.
Hoje não brilhas.
Soltam-se-me as palavras de dentro do peito. Nas marés de ir e vir.
Vou procurar-te à beira mar. Para te ter. Para te sentir. Para te sonhar...

Um beijo

Ana Martins disse...

Hoje é o desespero, amanhã será outro dia...

Poema muito triste!

Beijinhos e bm fim de semana

Maripa disse...

Tens o meu mar,as minhas ondas...
Hoje dou-te aconchego no meu colo e peço a uma estrela que brilhe só para ti.

Amanhã o céu acordará azul e o sonho voltará com flores.

Sente toda a ternura do meu abraço amigo. Sabes que eu gosto muito de ti,sabes?

Marta Vasil disse...

Fugiram as ondas, o mar, a maresia...
ficaram palavras tristes num poema triste. Quem sabe outras palavras não chegam já amanhã trazendo tudo o que hoje não tem.

Beijinho

MV

Anaconda disse...

Quando faltar o mar, porque não pisar terra firme?
Quando faltarem as estrelas e o luar, porque não aguardar pelo amanhecer radioso?
Quando faltarem os dedos e os versos, porque não meditar sobre o que o silêncio nos diz?
Quando nos falta quem estimamos, porque não relembrar a alegria desse alguém estar sempre connosco, ainda que não haja reciprocidade?
Quando há vazios, porque não preenche-los?

f@ disse...

há tens as nuvens claras ou escuras mas sempre fofas como algodão doce... e um dilúvio de água transparente a formar um rio que transborda só para as tuas margens...
beijinhos das nuvens

Marta disse...

Há dias em que não durmo e penso que morri...
Mas o Sol brilha, o mar conquista-me e eu voo como a gaivota....
Lindo como sempre...
Beijos e abraços
Marta

Carla Sofia disse...

Pode ser que o céu se volte a encher de cores.
Há um provérbio oriental que diz: «a hora mais sombria sempre a precede a aurora.»

beijinho

Sol da meia noite disse...

Talvez apenas não sintas... mas tudo existe.

Conheço bem estes dias... mas passam e tudo volta.


Um beijinho *

Vivian disse...

...a vida é feita de momentos,
alguns ruins, outros maravilhosos,
e em todos eles, o mar continua lá
com seu bailado de ondas que não se cansam.

hoje não 'vês' o mar, mas amanhã
talvez o cantará em alegres versos.

assim é o viver...

bjus, poetisa!

Afrodite disse...

Que lindo e triste
Por muito também me sinto assim as vezes.
Deixo-te um abraço amigo
Bjs

Teresa Augusto Shanor disse...

Porque te desesperas?
O que tens feito para que não haja esta ausência?
E tua amada, acaso sabe do teu amor?
Ela partiu deliberadamente ou nem sabe que a amas?
Vim visitá-lo e o encontro assim...
Com este poema tão sofrido.
Sabe, de tanto sofrer, resolvi não agir mais por sinais, mas ser direta e reta.
Precisamos lutar pela nossa felicidade, então...
Faça algo por voce mesmo, mostre-se a ela.

pin gente disse...

calo-me quando as ondas descem pela areia fugindo dos mseu pés. nem sempre nos envolvemos em cântigos e jogos de prazer. há dias em que o mar me foge para não me trazer os recados do vento. os avisos da lua.os presságios das estrelas. há dias em que as ondam não enrolam frente aos meus olhos e rebentam já planas. como quem nada tem para me dizer. volto ao fim da tarde e encontro silêncio igual. a indiferença das águas é suspeita de temporal. permaneço! fico! desço! a espuma mata-se lentamente no areal sem querer as minhas lágrimas. as minhas mãos não a seguram num afago. deslizam-me propositamente entre os dedos. não se querem deter. a lentidão reveste-se de uma pressa suspeita. voltarei ao anoitecer!


um beijo, r
(se tiver que ser animador, seja!)
luísa

Ana disse...

Tão bonito!

Adorei!

Pearl disse...

Quase a perder uma lágrima perante a tristeza do poema...

:o)))***

Cris disse...

Quando os nossos dias se tornarem obscurecidos por nuvens negras e baixas, quando as nossas noites forem mais negras do que mil noites. Lembremo-nos, que no universo a um grande e benigno poder, que é capaz de abrir caminho onde não há caminho, e de transformar o ontem sombrio num luminoso amanhã!!!!

Bjs

Graça Pires disse...

Obrigada pela visita ao meu "Ortografia" e pelas palavras.
Virei aqui mais vezes. Um abraço.

Maria Clarinda disse...

Obrigada pelo convite , adorei andar pelo teu cantinho.
Este poema é belo, e o Mar...sempre mar.
Jinhos

Justine disse...

Mas o silêncio e a solidão também podem ser produtivos!
Como, por exemplo, fazerem surgir este poema:))

O Fantasma e o Anjo disse...

Um sorriso nossos

Serenidade disse...

Se soubermos aproveitar este vazio, ele nos dará a certeza de um amanhã, de uma manhã, de inverno ou de verão,. muito mais luzidia, pois já experimentamos o vazio da solidão... também já o senti vezes sem conta....

... vale sempre a pensa sonhar, mesmo que a concretização dos sonhos pareça longuínqua...

Serenos sorrisos

JOICE WORM disse...

Nossaaaa... Só de ver a fotografia, calcula-se o tamanho do desespero.
Mas também de olhar, me deu vontade de entregar um lenço, lavar a cara do indivíduo, pentear o cabelo, colocar uma corzinha e chamar para um passeio na praia.
O resto, fica para trás. E o que passou, passou!

Menina do Rio disse...

Isso é o que chamo de vazio absoluto!
Posso ao menos deixar-te umas palavras, ainda que silenciosas e o sopro de um beijo com cheiro de mar.
A Lua? quem sabe na próxima maré quando as ondas deitarem na areia!

Um beijo!

Som do Silêncio disse...

Mesmo com a tristeza como pano de fundo, és fantástico no que escreves!

Bjs,
Som

lua prateada disse...

"Um vazuo cheio de coisa nenhuma..."pois é isso amigo , o vazio é apenas vazio nada mais tem...Obrigada pela visita lá no meu cantinho.
Bela semana para ti.
Beijinho prateado

SOL

andorinha disse...

Um poema de dor com as sombras de um dia cinzento.
Que o sol regresse, a pintar as palavras de cor.
Um beijo.

Teresa Durães disse...

por vezes o vazio assola-nos mas depois vem o preenchimento

NOCTURNO disse...

O chão desaba, caímos no abismo profundo, nada nos sustém, nada abraça a nossa alma abandonada.

Partir é a única razão para voltar a caminhar.

Coragem disse...

Hoje, não há amanhecer de sonhos, onde o mar te vem banhar os pés.
Hoje, a tristeza dorme contigo...

Quem sabe, amanhã?

beijinho

MPereira disse...

Hoje só tenho a dor de te não ter
Obrigado pela visita,e pela simpatia
Gostei do blog,Vou voltar

Angel disse...

..passo devagarinho só para deixar algum carinho..um miminho..ou um beijinho..e animar um bocadinho o teu coração..

sonhos disse...

Hoje não, amanhã é outro amanhecer, e ai sentirás td de novo.

Beijinhos

Bichinho disse...

Hoje tenho o que ontem ainda tinha...nada ou coisa nenhuma...beijo fantasma...

eu disse...

Meu caro, permita-me que o trate assim, temos momentos assim, e por mais que existam pessoas que assim não é, só nós é que sabemos. Tal como no coment anterior, nós somos um fado e o fado. Um grande abraço.

Mariazita disse...

Um vazio que urge preencher.
Acabar com o desespero, que não conduz a nada.
Hoje chove, o céu parece chorar.
Amanhã brilhará o sol, a natureza estará em festa, a sorrir.
E haverá mar, e marés, e o sussurro das ondas...
Gostei deste espaço.
Passei por acaso, mas vou voltar. Já anotei a "morada" -:)
Beijinhos
Mariazita

Perla disse...

Quão desesperante quando assim é!

De uma cor triste também se pinta um belíssimo poema!

Bjs

José disse...

Mau mesmo hem??? Feio e bonito, ao mesmo tempo.
Tudo de bom

Xinha disse...

Quando sentires que nada tens, lembra-te de mim que tudo tenho para ti ...

Dou-te o meu mar,as ondas, a maresia. Dou-te tudo, só para te ver sorrir de novo ...

Xi-coração

Carla disse...

...não tinha lido
...arrepiou-me a dor da imagem a crueza das palavras
...assim é a vida, espero que encontres rapidamente as ondas do teu mar
beijos e boa semana