BLOGGER TEMPLATES AND TWITTER BACKGROUNDS

quarta-feira, 1 de outubro de 2008

Amar



Soltam-se os versos que falam solidões
Porque estou só de mim mesmo.

No peito um ardor a desencanto
E nos olhos uma miragem do teu sorriso.

Dói-me a névoa que espalhas no meu mar
E nem as maresias me cheiram a marés de espumas.

No mar, encalho o veleiro nas pedras da tua ausência
E os ventos expulsam-me as amarras que me ligam a ti.

Sinto-me à deriva do que sou
Em busca duma praia do que és…

Estou só no meio de tanto amar!

25 Gotas de Chuva:

_E se eu fosse puta...Tu lias?_ disse...

Sarava!


Então estás no meio de corações aos pulos ;)

beijinhos

ONDINHAS disse...

"No mar, encalho o veleiro nas pedras da tua ausência
E os ventos expulsam-me as amarras que me ligam a ti."

há que remar contra esse mar e esse vento...para que quem está longe fique mais perto..

bjinho

sonhos disse...

Estou só no meio de tanto amar.

lindo

Beijinhos

ana disse...

Ao contrário de ti, eu não tenho o dom da escrita.Só posso dizer-te que aquilo que escreves me continua a emocionar e a fazer-me sentir um grande orgulho por partilhares comigo estes versos.

Dalaila disse...

e no amor encho-me porque a deriva da paixão encontra sempre o rumo

Xinha disse...

Sei bem do que falas...

Deixo-te aqui o meu sorriso e não apenas uma miragem ... o sentido, aquele que vem do fundinho do coração !!

Espero que encontres rápido o teu porto de abrigo ... até lá.. tens o meu abraço para teu aconhego !

Xi-coraçõa

Humana disse...

Lindo o poema meu querido amigo!
E não estás só...
Beijinhos carinhosos

eu disse...

Um elemento comum, o mar...
O mar traz-me memórias fantásticas e histórias de amores e desamores, quais Adamastores.
Escrever assim, deixa-nos com vontade de ler mais.
Gostei

Quase Trinta disse...

Ah sempre o amor.. e só o amor pra trazer tanta inspiração

Anja Rakas disse...

E sortudo q és meu querido...
estás no meio de tanto paraíso.
Bjs meus

Coragem disse...

Sublime, pouco mais conseguiria, acrescentar.
Adoro a forma, como vais dando vida ao teu mar, com ele, nos encantas, mesmo que as palavras sejam sofridas, existe a beleza que nos sobra, da forma como as colocas...

Beijinho

Renata Maria Parreira Cordeiro disse...

Estou aqui para agradecer e retribuir a visita que vc fez ao meu Blog hoje e aproveito o ensejo para convidá-lo a ir sempre que eu postar algo. Venho aqui e o convido. Gostei muito do seu poema, pois reflete muito o que estou sentindo, o que estou passando.
Um abraço,
Renata Cordeiro

Som do Silêncio disse...

Um dia quando for grande, quero escrever assim... :)

Bjs,
Som

Sol da meia noite disse...

Incrível como aqui venho encontrar palavras nas quais me revejo... sentindo a tristeza que exprimem.

"E os ventos expulsam-me as amarras que me ligam a ti."
Escrevi outro dia algo parecido, quando falei das estrelas que de mim se afastavam, ao ritmo da dor que me invadia a alma...

Mas as coisas mudam.
Há-de haver um porto seguro à espera de quem anda à deriva...


Mesmo triste, é um belíssimo poema.

Beijinho *

Maripa disse...

"Estou só no meio de tanto amar!"


Fazem-me doer estas palavras tuas...sente-se o desencanto,a saudade...

Gostava que fosse um belo poema de amor,apenas.

Abraço-te com muita ternura,amigo querido.

Ana Martins disse...

Lindo poema, um "amar" escrito com sentimento e dor.

Beijinhos

the reason is you disse...

A dor, a solidão, a ausência... sentimentos que nos fazem sentir perdidos.

Texto muito bonito.

Beijinhos

Cadinho RoCo disse...

De repente navegar à deriva poderá ser bom.
Cadinho RoCo

Marta disse...

As correntes são fortes...
Mas há sempre um lugar onde se encontra abrigo....
Belo como sempre...
Beijos e abraços
Marta

Renata Maria Parreira Cordeiro disse...

É lindo o seu poema, amigo.
Por motivos de foro íntimo, não sei quando poderei voltar a publicar, por isso postei hj, mas todo dia ligarei o computador para ver se vocês têm vindo prestigiar-me.
Um beijo,
Renata
wwwrenatacordeiro.blogspot.com

Layla Lauar disse...

"A tua saudade corta
feito aço de navalha
O coração fica aflito
bate uma e a outra falha
e os olhos se enchem d'água
que até a vista se atrapalha"

esta tua saudade pode ser muito doída..mas é bonita demais de se ler...

beijos

JOICE WORM disse...

Acho que não estás nunca só de ti mesmo... Se uma pessoa pode ser filho, pai, amigo, irmão, cunhado, padrinho, namorado, marido, empregado, patrão e sei lá mais o que... Tu isso pode estar dentro de um único indivíduo. Achas que todas as posições pessoais podem estar só de uma só vez? Eu acho que não...

pin gente disse...

entrega-te à deriva nesse mar
eu quero ensinar-te a navegar
a velejar na minha brisa, que sou vento
vou acalmar o fervor das tuas velas
libertar a amarra que te prende ao cais
a partir daqui entrega-te, à deriva, a esse amar
nunca mais a ausência se fará notar

com um beijo amigo
luísa

paula barros disse...

Poxa, fico imaginando se triste, com ausência, com vazio escreve lindo assim, imagino quando estiver amando, arrebatado por um amor intenso e lindo.

Você consegue colocar imagem e poema com bastante sintonia.
Parabéns.

abraços

Pearl disse...

consegues deixar-me sem palavras!!!
muito bom mesmo!

:o)))***